quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A Água

Meus senhores eu sou a água que lava a cara, que lava os olhos, que lava a rata e os entrefolhos, que lava a nabiça e os agriões, que lava a piça e os colhões, que lava as damas e o que está vago pois lava as mamas e por onde cago.
Meus senhores aqui está a água que rega a salsa e o rabanete, que lava a língua a quem faz minete, que lava o chibo mesmo da rasca, tira o cheiro a bacalhau da lasca, que bebe o homem que bebe o cão, que lava a cona e o berbigão.
Meus senhores aqui está a água que lava os olhos e os grelinhos, que lava a cona e os paninhos, que lava o sangue das grandes lutas, que lava sérias e lava putas, apaga o lume e o borralho e que lava as guelras ao caralho.
Meus senhores aqui está a água que rega as rosas e os manjericos, que lava o bidé, lava penicos, tira mau cheiro das algibeiras, dá de beber às fressureiras, lava a tromba a qualquer fantoche e lava a boca depois de um broche.

BOCAGE, poeta d'um Cabrão!

30 comentários:

Nawita disse...

a água é vida!
Ninguém o diz tão bem como Bocage!

Isa disse...

E depois ainda se chateiam comigo porque digo que prefiro o Bocage a muitos outros poetas.

Pá, mas alguém mais diz as coisas como ele?

E depois do post anterior, estava-me mesmo a apetecer ler Bocage.

Obrigada, PWFH

grassa disse...

Depois de todas essas lavagens, diria que é uma água com sabores.

Nawita disse...

Isa,

Experimenta também as cantigas de escárnio e maldizer!

PWFH disse...

O que ía agora era uma sandes de escárnio assada!

Nawita disse...

Epá eu bebia era qualquer coisa bem quente. Mas com água engarrafada!
Está frio!

Nawita disse...

mas o que queria também é saber o que é uma fressureira.

AD disse...

Sempre disseste que não.

AD disse...

E por "sempre" entenda-se os escassos meses que te conheço.

AD disse...

E por "conheço" etc.

PWFH disse...

Uma fressureira, é uma fufa do "intigamente".

Nawita disse...

PWFH,
Ah… ok! Mas isso por vezes deviam era ser intrigas de alguma ciumenta! Elas se calhar eram só amigas e mais nada!

Nawita disse...

AD,

Gostas de complicar! Ainda bem que o PW explicou o que era.
Sempre disse que não e ainda continuo a dizer. Se é para sempre ou não é que já não sei. Já aprendi que não se deve dizer nunca, quando o fazemos acabamos por cair no nunca !

Sílvia Maria disse...

Tambem já o publiquei uma vez

http://silviamaria.blogspot.com/2009/05/grande-poeta-o-bocage.html

Grande poeta...sem papas na língua (também com tanta água...)
Bom texto, sim senhor!

Vani disse...

:D :D :D bravo, Bocage!

Vani disse...

e os dipolos eléctricos, e as pontes de hidrogénio, onde estão??? -_-

A disse...

ena! um espaço de poesia e cultura, mesmo aqui no balázios!

aqui fica a minha declamação:

Balofas carnes de
balofas tetas
caem aos montões
em duas mamas pretas
chocalhos velhos a
bater na pança
e a puta dança.

Flácidas bimbas sem
expressão nem graça
restos mortais de uma
cusada escassa
a quem do cu só lhe
ficou cagança
e a puta dança.

A ver se caça com
disfarce um chato
coça na cona e vai
rompendo o fato
até que o chato
de morder se cansa
a puta dança.

Os calos velhos com
sapatos novos
fazem-na andar como
quem pisa ovos
pisando o par de cada
vez que avança
e a puta dança.

Julga-se virgem de
compridas tranças
mas se um cabrito
de cornadas mansas
abre a carteira e
generoso acode
a puta fode.

AD disse...

Ainda por cima és poeta?...

A disse...

porra, esqueci-me de assinar que era do antónio botto.

A disse...

mas... espera lá, ainda por cima? que é que eu fiz!?

Daniela Marinho Gonçalves disse...

AHAHAHAHHA
E lava a boca depois de um broche!

Nawita disse...

A,

És um grandessíssimo sacanóide! Acho que é a isso que o AD se refere!

E gostas mesmo deste poema! Eu também, obrigada por partilhares!



DM,
És mesmo teenager, saltas de um lado para o outro à uma velocidade incrível!
As coisas que andas a aprender hoje! ;)

A disse...

gosto ainda mais de outro, que ouvi na mesma altura, mas que não consegui encontrar. começava mais ou menos assim:

fugide velhas! porque está frio e podeis constipar, velhas!

isto é ainda melhor quando declamado pelo autor (que também não sei quem é)... foi um espectáculo e tanto!


apercebi-me agora que fugide não existe. a gramática está cada vez mais déspota!

Nawita disse...

LOL
Fugide é fantástico! vamos passar a usar?
Agora quando for de carro e passarem velhas À frente vou gritar isso “fugide velhas!”

AD disse...

Eu já fugi de velhas. Eram testemunhas de Jeová.

A disse...

eu já uso há muitos anos... e juro que pensava que estava correcto!

A disse...

AD, aahahahahahaha

tiagugrilu disse...

O António Botto nasceu na aldeia do outro lado do rio, da perspectiva de quem estiver na aldeia onde cresci.

tiagugrilu disse...

Fogo, que comentário mais desinteressante...

Sílvia Maria disse...

Realmente...

origem